Cardápio

“O espírito humano é capaz de coisas grandiosas, de
feitos abnegados, de atos carregados
de solidariedade e de amor ao próximo.
Mas, também, extrapola ao outro extremo, praticando ações odiosas, hediondas e repugnantes. São os extermínios étnicos, os holocaustos, as guerras, as agressões terroristas, o comércio nefando de escravos. É inexplicável”.

O Jazz é sem dúvida a música mais livre do planeta. Nela o músico e o ouvinte podem esquecer das regras e dos dogmas criados pelo mundo e se entregarem ao feitiço e pureza do seu ritmo. Essa conotação de liberdade e inquietação não é por acaso.

O Jazz foi considerado profano quando apareceu no final do século XIX e início do século XX, no sul dos Estados Unidos, principalmente na cidade de New Orleans. Os negros americanos, que eram discriminados e tratados pior que escravos, foram os porta-vozes do jazz.

Não importava se era cantado ou tocado, o que ele proporcionou aos negros americanos foi além do patriotismo ou da religião. Eles fizeram do jazz a sua identidade, que é respeitada e admirada até hoje em todo o mundo.

Confira o Cardápio ►

maio 2017
dom seg ter qua qui sex sáb
1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31
Fotos
s